Vacina da Covid-19 pode começar a ser liberada em janeiro, mas Saúde não se compromete com datas
06/08/2020 16:19 em Novidades

O primeiro lote de 15 milhões de vacinas contra o novo coronavírus produzido pela farmacêutica britânica AstraZeneca e com previsão de chegar ao Brasil em dezembro será liberado a partir de janeiro de 2021. Mas isso não quer dizer necessariamente que a vacina, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford (Reino Unido), começará a ser aplicada nos postos de saúde imediatamente.

As informações foram dadas por integrantes da Fiocruz e do ministério em audiência realizada nesta quarta-feira pela comissão da Câmara dos Deputados que acompanha as ações de combate à pandemia.

Os prazos ainda são incertos porque dependem de outros fatores, como por exemplo logística e a obtenção de registro na Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Já o processo de transferência de tecnologia para o Instituto Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde, deve ser concluído, de acordo com as mesmas fontes, no primeiro trimestre de 2021.

O que é certo até agora é que grupos de risco, como idosos, pessoas com outras doenças e profissionais de saúde, terão prioridade.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE