Ministro da Educação pede exoneração
28/03/2022 17:04 em Política

Milton Ribeiro pediu exoneração do cargo de ministro da Educação hoje (28). A saída foi publicada em edição extraordinária do Diário Oficial da União por volta das 16h40.

Ribeiro esteve no Planalto no início da tarde e conversou pessoalmente com Jair Bolsonaro (PL). Em princípio, ele deve ser substituído por Victor Godoy, secretário-executivo do MEC, que até hoje era o número dois na pasta e atuava como braço-direito do ministro.

Auxiliares do presidente afirmaram que inicialmente foi estudada a possibilidade de Ribeiro se licenciar do cargo, mas foi decidido pela exoneração —no texto oficial, consta que a saída foi "a pedido".

Apesar disso, nas palavras de um auxiliar direto do presidente, após a sua defesa, Ribeiro poderia retornar ao comando do MEC "com mais tranquilidade".

Em carta que circula entre parlamentares, atribuída a Ribeiro, ele nega irregularidades e diz que não se despede do ministério. "Direi um até breve, pois depois de demonstrada minha inocência estarei de volta, para ajudar meu país e o presidente Bolsonaro na sua difícil mas vitoriosa caminhada", afirma o texto.

A saída acontece uma semana após a divulgação de um áudio em que Ribeiro afirma que o governo federal prioriza a liberação de verbas a prefeituras ligadas a dois pastores. Sem cargos, os líderes religiosos atuam em um esquema informal de liberação de verbas do MEC, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. "Foi um pedido especial que o Presidente da República [Jair Bolsonaro] fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar [Santos]", diz o ex-ministro na gravação.

 

Fonte: UOL

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE